Cardápio Espaço Educar

 A nutricionista Vanessa Freitas coordena o serviço de Nutrição Espaço Educar e ninguém mais apropriado do que ela para falar sobre como é feito o planejamento do cardápio escolar. Nesse bate-papo entrevista, Vanessa nos explica que grupos alimentares são priorizados na dieta diária das crianças e quais as opções oferecidas aos alunos com alergias e/ou restrições alimentares.

 

Como é elaborado o cardápio no Espaço Educar?

Vanessa:  O cardápio em nossa escola é sempre planejado levando em consideração a faixa etária atendida com ênfase nos alimentos naturais e saudáveis. A programação é feita para os 30 dias do mês, com opções variadas a cada dia e com repetições nos meses posteriores dos alimentos mais aceitos pelas crianças. Procuramos respeitar os hábitos culturais alimentares da nossa região Nordeste, como por exemplo, servindo macaxeira com ovos, ou inhame, no dia em que nos propomos a servir uma opção de café regional. As frutas estão sempre presentes nessa programação alimentar, permitindo assim que muitas crianças desenvolvam o gosto por este tipo de alimento, especialmente aquelas que não consomem frutas com maior frequência em casa. Não incluímos em nosso cardápio os alimentos a base de gorduras saturadas, como refrigerantes, enlatados e conservantes.

Que grupos alimentares são priorizados na dieta da Educação Infantil e do Ensino Fundamental?

Vanessa:  Na fase da Educação Infantil para as crianças de 1 ano e meio a 5 anos, oferecemos frutas e hortaliças, leguminosas, alimentos proteícos como leite e derivados, carboidratos e proteínas vegetais, como o feijão. Nas séries do Ensino Fundamental, seguimos com uma dieta alimentar à base de leite e derivados, frutas e carboidratos.

Para as crianças com restrições alimentares ou alergias, quais as opções oferecidas?

Vanessa:  As crianças que sofrem de intolerância a lactose (alergia ao leite) consomem pães, biscoitos e bolos sem lactose, e nesse caso substituimos o leite por sucos de frutas. Já para os alérgicos ao glúten, oferecemos biscoitos e mini pizzas a base de amido de milho, que servem para substituir o glúten. Os mesmos critérios de substituição de alimentos são utilizados de acordo com outros casos de intolerância alimentar.

Crianças que não podem consumir alimentos com corantes, por exemplo, recebem iogurtes orgânicos, que não contêm corantes. As que não podem consumir iogurtes, recebem sucos de frutas.E assim vamos conciliando as necessidades alimentares de cada uma com uma dieta capaz de proporcionar saúde e bem estar.

Frutas e sucos: qual a proporção desses alimentos no cardápio semanal?

Vanessa: Para os alunos da Educação Infantil, as frutas são oferecidas duas vezes por semana, e os sucos diariamente. As turmas do Ensino Fundamental recebem porções diárias de sucos e consomem frutas pelo menos uma vez por semana.

A partir de qual idade é feita a substituição do almoço e/ou jantar pelo lanche e como é calculada a quantidade de proteínas e carboidratos na composição desses lanches?

Vanessa: Na verdade o que ocorre é uma transição da oferta de lanche e almoço ou jantar durante a Educação Infantil para apenas o lanche, a partir do Maternal II. Ao elaborarmos o cardápio de lanches procuramos manter a proporção de 15% das necessidades calóricas diárias de cada criança.

Por exemplo, no dia da fruta são ofertados mais carboidratos simples. Nos dias que oferecemos proteínas como o leite, pão e queijo, por exemplo, essa oferta de proteínas é feita numa proporção bem maior. Toda essa distribuição de nutrientes é feita levando em conta as necessidades de consumo diversificado para que a criança possa conhecer e degustar vários tipos de alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Ainda sem comentários.