Escritora Cláudia Lins é a homenageada da Semana Literária de 2019

A Semana Literária da Escola Espaço Educar deste ano homenageou a jornalista e escritora Cláudia Lins, que nasceu no Rio de Janeiro e escolheu Alagoas como sua casa e fonte de inspiração para suas obras.

Durante o evento, Cláudia lançou o livro ‘Amigos Bichos e Abraços’ (editora Mundo Leitura) e contou um pouco sobre o processo de criação das histórias.

Segundo Cláudia, a paixão pela cultura e pelo folclore alagoano são estímulos na hora de escrever. “Alagoas é um estado muito rico culturalmente. Quilombo dos Palmares, Rio São Francisco, Piaçabuçu são lugares que fazem parte de quem eu sou”, contou a escritora.

Sua primeira obra infantil foi Os Três Porquinhos do Agreste, história inspirada no clássico Os Três Porquinhos, narra as aventuras dos irmãos Chico, Zé e Frederico, que viviam no agreste de Alagoas e são procurados por um lobo chamado Juvenal. Sem conhecer o lobo, os porquinhos começam a supor que ele era mal. Porém, no final eles descobrem que estavam enganados quanto a Juvenal. Através da história a escritora ensina a não julgar pela aparência.

 

Apesar da história dos porquinhos ser seu best-seller, Claudia declara ter um carinho especial pelas obras sobre o Rio São Francisco, pois nutre por esse rio uma paixão especial.

Além de falar sobre a cultura e o folclore alagoanos, Claudia Lins escreveu histórias que abordam a literatura afro-brasileira. Uma dessas histórias é O Diário de Dandara, que conta sobre a vida de uma garota nascida em Maceió, que é e se reconhece como afro-brasileira, não só na cor da pele, como também na cultura. Além disso, Dandara é nordestina e vai para o mundo levando o orgulho de ser negra e alagoana.

“Eu acho que o valor que a Dandara dá para suas raízes é algo que, não só as crianças, mas os jovens de Alagoas precisam. Essa coisa de se ter respeito e orgulho de suas origens, de ser quem é de fato e de levar sua cultura para o mundo”, relatou Claudia.

A autora, que já teve livros participando da Feira de Livros de Bolonha (Itália), evento literário mais importante do mundo, ressaltou a importância da homenagem e desse momento com as crianças.

“A alegria do autor é poder estar próximo ao leitor. Eu sempre falo que é muito importante para as crianças terem esse tipo de contato, saber que o autor é ‘real e normal’. Quando você chega em um lugar e as crianças conhecem seus livros é muito diferente, pois o encontro não se torna apenas um momento de autógrafos e de fotos. Se transforma em um momento de contato e troca entre o autor e as crianças, isso fica na vida deles e na minha, e possibilita despertar nas crianças o sentimento de que eles podem ser o que quiserem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *