Construindo o saber matemático

São inúmeras as propostas que fazem o saber matemático: ler, escrever números, realizar cálculos – sejam eles mentais ou escritos – e resolver situações problemas. Todo esse trabalho com a matemática só faz sentido se as crianças se encantarem e enxergarem nesse universo propósitos e funções para sua realidade.

Oferecemos uma proposta de ensino que coloca o aluno no centro do processo educativo. Tendo como essência a perspectiva construtivista o aluno é capaz de resgatar conhecimentos prévios e perceber com maior segurança conceitos importantes do saber científico.

Desde a Educação Infantil as crianças já pensam e constroem ideias sobre o “saber matemático”. Em situações lúdicas, desde cedo, se apropriam de conceitos importantes da Matemática. Alguns exemplos disso são as aprendizagens de sequências e contagens numéricas, a observação de regularidades quando participam de jogos, as estratégias utilizadas nas brincadeiras e as reflexões feitas na sala mediadas pelas professoras.

 

Quando as crianças brincam, demonstram prazer e alegria em aprender. A curiosidade que as move durante a manipulação de materiais concretos e quando respondem a um desafio é, em certo sentido, a mesma que move os cientistas em suas pesquisas. Dessa forma, é desejável buscar conciliar a alegria desses momentos com a aprendizagem escolar.

No Ensino Fundamental I, ampliam-se os desafios e as exigências e, gradativamente, os alunos passam a ter um maior domínio sobre os blocos temáticos da disciplina. O melhor de tudo isso é perceber que as crianças passam a estabelecer uma relação de prazer com uma matéria antes tão intrigante.

Para favorecer o avanço e a superação de desafios, fazemos um trabalho estruturado na área de Matemática. Contamos com uma professora específica para essa disciplina, com capacidade de criar na sala de aula um clima de investigação, de trocas de experiências e de construção coletiva.

A utilização de materiais manipuláveis também é uma marca da nossa escola. Segundo Piaget, o processo cognitivo é separado em duas palavras: aprendizagem e desenvolvimento. Na fase dos 7 aos 12 anos a criança se encontra no estágio de desenvolvimento chamado operatório-concreto e nesse período  ela ainda está muito dependente da manipulação concreta de objetos. Isso justifica o uso de uma diversidade de materiais durante as aulas de matemática, permitindo uma aprendizagem significativa.

Desde 2016 participamos da Olimpíada Canguru de Matemática e, para a nossa alegria, o número de medalhistas tem sido um destaque entre as escolas de Maceió. Evidentemente, isso só tem sido possível graças a confiança das famílias nesse trabalho que é feito com tanto amor.

 

Texto por: Emanuelle Alinny Pontes Barbosa dos Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *